Senado Federal tenta intimidar os liberais

No dia 27 de setembro, a página do Senado Federal publicou um post pregando que a coleta de impostos como algo bom e necessário. Milhares de internautas cansados de tantos impostos e ineficiências governamentais inundaram aquele post protestando com mensagens liberais. Dois dias depois, a página do Senado publicou uma nova imagem tentando classificar tais mensagens como CRIME. A frase “Todos deveriam sonegar!” é uma alusão óbvia ao movimento liberal.

Pois vamos ver.

Existe uma diferença jurídica entre incitação ao crime e apologia ao crime. Começo pelo último: apologia é vangloriar-se de algum crime cometido por alguém. É um fato POSTERIOR a um crime específico. Digamos que Stálin tenham matado pessoas (este é o crime); tempos depois (o tempo não é importante), algum esquerdista débil (com perdão do pleonasmo) grita “Stálin matou foi pouco”. Veja: o esquerdista não só reconhece que Stálin tenha assassinado pessoas (crime), mas achou bom e quer que outras sejam assassinada. Isso é apologia ao crime.

A incitação ao crime, porém, necessita da iminência da prática criminosa. Vamos ao exemplo: numa manifestação de delinquentes esquerdistas, um black bloc acende um coquetel molotov com intuito de incendiar prédios da administração pública (crime). Neste momento, um outro anjinho mascarado de preto e vermelho aparece ao seu lado e grita: “joga na polícia fascista”. Tanto faz se o alvo é um prédio ou um ser humano que está trabalhando; o fato é que este anjinho (a “mídia golpista” chama de manifestante) está praticando a incitação ao crime. Ele está incitando uma outra pessoa a cometer um crime imediatamente. Isso é incitação ao crime.

E quando dizemos IMPOSTO É ROUBO? Quando dizemos SONEGAR É LEGÍTIMA DEFESA? É apologia/incitação ao crime? Nenhum dos dois, pois não houve crime específico celebrado (apologia) e nem houve incitação ao crime iminente. Trata-se somente de difusão de uma conclusão racional e óbvia sobre as práticas imorais do estado. Detalhe importante: não comete crime de apologia/incitação aquele que teve sua mensagem mal interpretada e que levou outros a cometerem crimes.

Portanto, as pessoas por trás da página do Senado Federal desceram ao fundo do poço. Com certeza essas pessoas sabem a diferença jurídica explicada acima; tomaram a decisão consciente de publicar uma tentativa de silenciar os liberais/libertários do Brasil.

Que vergonha! Que asco! Usando aparato institucional para provocar uma parcela da população brasileira. Como diz a esquerdalhada: “não passarão”!

O liberalismo entra em ascensão e o estado entra em desespero.

Rafael Ribeiro Autor

Rafael Ribeiro é mestre em musicologia pela Universidade de Brasília. Sua pesquisa investiga o intervencionismo do estado na economia da música utilizando as bases praxeológicas da Escola Austríaca.

Deixe uma resposta